A ação do intemperismo interfere no acabamento superficial e na coloração da madeira de espécies florestais

  • José Henrique Camargo Pace Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Instituto de Florestas, PPG em Ciências Ambientais e Florestais
  • Alexandre Monteiro Carvalho Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Instituto de Florestas, Departamento de Produtos Florestais
  • Alexandre Miguel do Nascimento Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Instituto de Florestas, Departamento de Produtos Florestais
  • João Vicente Figueiredo Latorraca Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Instituto de Florestas, Departamento de Produtos Florestais
  • Ananias Francisco Dias Júnior Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" – ESALQ
Palavras-chave: Ensaios de aderência, Trabalhabilidade e usinagem da madeira, Revestimentos sintéticos

Resumo

Este estudo avaliou o efeito de diferentes acabamentos superficiais sobre a aderência de revestimentos e a variação da coloração em madeiras de Corymbia citriodora e Khaya ivorensis anteriormente e após a exposição ao envelhecimento acelerado. Os tratamentos consistiram de amostras aplainadas (T1), amostras lixadas com grã 80 (T2), grã 120 (T3), grã 180 (T4) e grã 220 (T5) e, em seguida envernizadas. As condições de intemperismo foram aplicadas por meio de uma câmara de envelhecimento acelerado, com controle de raios ultravioleta, umidade e temperatura, simulando condições adversas ambientais. Para a análise colorimétrica, foi utilizado um espectrofotômetro do sistema da Commission Internationale de l’Éclairage (CIELab). As madeiras de ambas as espécies apresentaram resultados satisfatórios para a aderência ao verniz poliuretano antes e após o ensaio de envelhecimento, tendo a Khaya ivorensis o melhor resultado (1,00). Foi possível observar que as madeiras analisadas apresentaram pouca porcentagem de película de verniz destacado. A coloração natural da não foi alterada pelo uso de lixas com diferentes granulometrias. O processo de intemperismo acelerado provocou alterações significativas nas madeiras das espécies estudadas, sendo suas cores classificadas como muito apreciáveis.

Referências

AMERICAN SOCIETY FOR TESTING AND MATERIALS. ASTM G154: standard practice for operating fluorescent light apparatus for UV exposure of nonmetallic materials. Philadelphia: ASTM, 2006. 11 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 11003: tintas: determinação de aderência. Rio de Janeiro: ABNT, 2009. 9 p.

AVELINO, E. F. Avaliação da madeira de teca jovem (Tectona grandis L.f.vem) visando uso em movelaria. 2012. 88 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais e Florestais) – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2012.

AYADI, N.; LEJEUNE, F.; CHARRIER, F.; CHARRIER, B.; MERLIN, A. Color stability of heat-treated wood during artificial weathering. Holz als Roh: und Werkstoff, v. 61, n. 3, p. 221-226, 2003. doi: 10.1007/s00107-003-0389-2.

CADEMARTORI, P. H. G.; MATTOS, B. D.; MISSIO, A. L.; GATTO, D. A. Colour responses of two fast-growing hardwoods to two-step steam-heat treatments. Materials Research, v. 17, n. 2, p. 487-493, 2014. doi: 10.1590/S1516-14392014005000031.

CARVALHO, A. M.; GONÇALVES, M. P. M.; AMPARADO, K. F.; LATORRACA, J. V. F.; GARCIA, R. A. Correlações da altura e diâmetro com tensões de crescimento em árvores de Corymbia Citriodora e Eucalyptus Urophylla. Árvore, v. 34, n. 2, p. 323-331, 2010a. doi: 10.1590/S0100-7622010000200015.

CARVALHO, A. M.; SILVA, B. T. B.; LATORRACA, J. V. F. Avaliação da usinagem e caracterização das propriedades físicas da madeira de mogno africano (Khaya ivorensis A. Chev.). Cerne, v. 16, p. 106-114, 2010b. Suplemento.

CHANG, S.-T.; HON, D. N.-S.; FEIST, W. C. Photodegradation and photoprotection of wood surfaces. Wood and Fiber Science, v. 14, n. 2, p. 104-107, 1982.

CHEN, Y.; FAN, Y.; GAO, J.; STARK, N. M. The effect of heat treatment on the chemical and color change of black locust (Robinia pseudoacacia) wood flour. BioResources, v. 7, n. 1, p. 1157-1170, 2012.

CONTE, B.; MISSIO, A. L.; PERTUZZATTI, A.; CADEMARTORI, P. H. G.; GATTO, D. A. Propriedades físicas e colorimétricas da madeira termorretificada de Pinus elliottii var. elliottii. Scientia Forestalis, v. 42, n. 104, p. 555-563, 2014. doi: 10.12953/2177-6830/rcm.v7n1p7-15.

DIAS JÚNIOR, A. F.; SANTOS, P. V.; PACE, J. H. C.; CARVALHO, A. M.; LATORRACA, J. V. F. Caracterização da madeira de quatro espécies florestais para uso em movelaria. Ciência da Madeira, v. 4, n. 1, p. 93-107, 2013. doi: 10.12953/2177-6830.v04n01a08.

DIAS JÚNIOR, A. F.; LANA, A. Q.; SANTOS, P. V.; CARVALHO, A. M.; SOUZA, N. D.; BRITO, J. O. Propriedades físicas e acabamento superficial da madeira de eucalipto termicamente tratada. Revista de Ciências Agrárias, v. 58, n. 3, p. 270-276, 2015. doi: 10.4322/rca.2010.

GONÇALEZ, J. C.; FÉLIX, T. L. F.; GOUVEIA, F. N.; CAMARGOS, J. A. A.; RIBEIRO, P. G. Efeito da radiação ultravioleta na cor da madeira de freijó (Cordia goeldiana Huber) após receber produtos de acabamentos. Ciência Florestal, v. 20, n. 4, p. 657-664, 2010. doi: 10.5902/198050982424.

HASHEMI, S. M. B.; KHANEGHAH, A. M.; KOUBAA, M.; BARBA, F. J.; ABEDI, L.; NIAKOUSARI, M.; TAVAKOLI, J. Extraction of essential oil from Aloysia citriodora Palau leaves using continuous and pulsed ultrasound: kinetics, antioxidant activity and antimicrobial properties. Process Biochemistry, v. 65, p. 197-204, 2018. doi: 10.1016/j.procbio.2017.10.020.

HON, D. N.-S. Weathering and photochemistry of wood. In: HON, D. N.-S.; SHIRAISHI, N. (Ed.). Wood and cellulosic chemistry. 2. ed. New York: Marcel Dekker, 2001. p. 513-546.

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE ÁRVORES. Relatório anual 2017. Brasília, DF: IBÁ, 2017. 80 p.

JANIN, G.; GONÇALEZ, J.; ANANÍAS, R.; CHARRIER, B.; SILVA, G. F.; DILEM, A. Aesthetics appreciation of wood colour and patterns by colorimetry: part 1: colorimetry theory for the Cielab system. Maderas, Ciencia y Tecnología, v. 3, n. 1-2, p. 3-13, 2001. doi: 10.4067/S0718-221x2001000100001.

LOPES, C. S. D.; NOLASCO, A. M.; TOMAZELLO FILHO, M.; DIAS, C. T. S. Avaliação da rugosidade superficial da madeira de Eucalyptus sp. submetida ao fresamento periférico. Cerne, v. 20, n. 3, p. 471-476, 2014. doi: 10.1590/0104776020142003875.

MAZET, J. F.; JANIN, G. La qualité de l’aspect de placages de chênes: mesures de couleur et critères d’appréciation des professionnels français et italiens. Ann Sci For. v. 47, n. 3, p. 255-268, 1990. doi: 10.1051/forest:19900306.

PRATES, M. B. E. Fotodegradação do bambu (Dendrocalamus giganteus Munro) após aplicação de radiação ultravioleta artificial. 2008. Tese (Doutorado em Ciência Florestal) – Universidade Nacional de Brasília, Brasília, DF, 2008.

RIBEIRO, A.; FERRAZ FILHO, A. C.; SCOLFORO, J. R. S. O cultivo do mogno africano (Khaya spp.) e o crescimento da atividade no Brasil. Floresta e Ambiente, v. 24, p. e00076814, 2017. doi: 10.1590/2179-8087.076814.

SANTOS, P. V.; SILVA, M. A.; DIAS JÚNIOR, A. F.; CARVALHO, A. M.; NASCIMENTO, A. M. Qualidade tecnológica da madeira de Corymbia citriodora (Hook.) K.D. Hill & L.A.S. Johnson submetida ao processo de termorretificação. Scientia Forestalis, v. 44, n. 110, p. 343-350, 2016. doi: 10.18671/scifor.v44n110.07.

SOUZA, M. O.; SILVA, J. C.; DELLA LUCIA, R. M.; EVANGELISTA, W. V. Avaliação da madeira de Eucalyptus Camaldulensis Dehnh e Eucalyptus Urophylla St Blake em ensaios de usinagem visando à produção moveleira. Árvore, v. 33, n. 4, p. 751-758, 2009. doi: 10.1590/S0100-67622009000400018.

VITTI, A. M. S.; BRITO, J. O. Óleo essencial de eucalipto. Documentos Florestais, n. 17, p. 1-26, 2003.

Publicado
2018-10-05
Seção
Artigos Científicos