Qualidade fisiológica das sementes de crambe submetidas a diferentes condições de secagem

Artigo principal Conteúdo

Lilian Moreira Costa Osvaldo Resende Douglas Nascimento Gonçalves Kelly Aparecida Sousa

Resumo

 Há um consenso generalizado sobre o fato de que a secagem inadequada é a principal causa da deterioração da semente. Desse modo, se houver negligência na secagem da semente, o esforço despendido em estudos de melhoramento genético, fitotécnicos e de zoneamento edafoclimático poderá ser comprometido. Assim, objetivou-se com este trabalho analisar a qualidade fisiológica das sementes de crambe submetidas à secagem em diversas condições de ar. Foram utilizados frutos de crambe cv FMS Brilhante, no Campo Experimental IF Goiano, campus de Rio Verde. Os frutos de crambe foram colhidos manualmente com teor de água de 27,0 ± 1,0 (% b.u) e secos até o teor de 7,0 ± 1,3 (% b.u.) nas temperaturas de 35, 45, 60, 75 e 90 °C e umidades relativas de 20,9, 8,7, 6,8, 4,8 e 2,3%, respectivamente. A qualidade das sementes foi avaliada pela porcentagem de germinação, pelo índice de velocidade de germinação, pela emergência em campo, pelo índice de emergência e pela condutividade elétrica. Conclui-se que o tempo de secagem dos frutos de crambe foi reduzido com o aumento da temperatura e que a qualidade fisiológica das sementes do crambe foi influenciada negativamente.

Detalhes do Artigo

Como Citar
COSTA, Lilian Moreira et al. Qualidade fisiológica das sementes de crambe submetidas a diferentes condições de secagem. Revista de Ciências Agrárias/Amazonian Journal of Agricultural and Environmental Sciences, [S.l.], v. 60, n. 3, p. 235-240, fev. 2018. ISSN 2177-8760. Disponível em: <http://periodicos.ufra.edu.br/index.php/ajaes/article/view/2446>. Acesso em: 24 jun. 2018.
Seção
Artigos Científicos