Correlações fenotípicas entre atributos químicos/físico-químicos e agronômicos em soja visando a produção de biodiesel

  • MARIA DILMA DE LIMA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS
  • Joênes Mucci Peluzio Universidade Federal do Tocantins
  • Flávio Sérgio Afférri Universidade Federal de São Carlos - Campus Lagoa do Sino

Resumo

 O conhecimento das associações entre atributos em programas de melhoramento é de fundamental importância, uma vez que permite identificar atributos desejáveis com redução de custos. Assim, o objetivo do trabalho foi estudar a associação entre atributos químicos e físico-químicos com os atributos agronômicos em soja cultivada sob baixa latitude, visando à produção de biodiesel com características favoráveis. Foram conduzidos dois experimentos durante o ano agrícola 2013/2014, implantados no município de Palmas, Estado do Tocantins. O delineamento experimental utilizado, em cada experimento, foi o de blocos casualizados com dez cultivares de soja e três repetições. Foram estudados os seguintes atributos químicos: teor de óleo e de proteína; os seguintes atributos físico-químicos: ácidos graxos palmítico, esteárico, oleico, linoleico, linolênico e araquídico, somatório de ácidos graxos saturados, somatório de ácidos graxos insaturados e somatório dos ácidos linoleico e linolênico; e os seguintes atributos agronômicos: altura das plantas, altura da inserção da primeira vagem, número de vagens por plantas, número de sementes por vagem, peso de cem sementes e rendimento de grãos. Há associação entre os atributos agronômicos e os atributos físico-químicos dos grãos. Os atributos agronômicos podem ser usados como indicativos de qualidade para o biodiesel. A seleção de plantas mais altas e com menor número de vagens pode propiciar a obtenção de biodiesel com características favoráveis.

Biografia do Autor

MARIA DILMA DE LIMA, UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS
Professora Adjunto na Universidade Federal do Tocantins. Doutora em Biodiversidade e Biotecnologia pela rede BIONORTE
Joênes Mucci Peluzio, Universidade Federal do Tocantins
Professor Associado na Universidade Federal do Tocantins, Doutor em Genetica e Melhoramento
Flávio Sérgio Afférri, Universidade Federal de São Carlos - Campus Lagoa do Sino
Professor Associado na Universidade Federal de São Carlos. Doutor em Agronomia (Agricultura)

Referências

ALMEIDA, R. D. DE; PELUZIO, J. M.; AFFERRI, F. S. Correlações fenotípicas, genotípicas e ambientais em soja cultivada sob condições várzea irrigada, sul do Tocantins. Bioscience Journal, 26: 95-99, 2010.

BACHLAVA, E.; BURTON, J. W.; BROWNIE, C.; WANG, S.; SANBAO, J.; CARDINAL, A. J. Heritability of oleic acid content in soybean seed oil and its genetic correlation with fatty acid and agronomic traits. Crop Science, 48: 1764-1772, 2008.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Portaria n. 795, de 15 de dezembro de 1993. Normas de Identidade, Qualidade, Embalagem, Marcação e Apresentação do Óleo de Soja Bruto, do Óleo de Soja Degomado e do Farelo de Soja, constante do anexo desta Portaria. Diário Oficial da Republica Federativa do Brasil, Brasilia, DF, 20 dez. 1993

CANAKCI, M.; MONYEM, A.; VAN GERPEN, J. Accelerated oxidation processes in biodiesel. Trans ASAE, 42: 1565–1572, 1999.

CARVALHO, F. I. F.; LORENCETTI, C.; BENIN, G. Estimativas e implicações da correlação no melhoramento vegetal. Pelotas: Editora e Gráfica Universitária – UFPel, 2004. 141 p.

CORSINI, M. S.; JORGE, N.; MIGUEL, A. M. R. O. DE; VICENTE, E. Perfil de ácidos graxos e avaliação da alteração em óleos de fritura. Química Nova, 31: 27-31, 2008.

CRUZ, C. D. Programa Genes: Aplicativo computacional em genética e estatística. Viçosa: Editora UFV, 2007. 648 p.

CRUZ, C.D.; REGAZZI, A.J.; CARNEIRO, P.C.S. Modelos biométricos aplicados ao melhoramento genético. Viçosa: Editora UFV, 2012. 514 p.

DA SILVA, F. C. Manual de análises químicas de solos, plantas e fertilizantes. Brasília: Embrapa, 2009. 627p.

FARHOOSH, R.; EINAFSHAR, S.; SHARAYEI, P. The effect of commercial refining steps on the rancidity measures of soybean and canola oils. Food Chemistry, 115: 933‑938, 2009.

FEHR, W. R.; CAMVINESS, C. E.; BURMOOD, D. T.; PENNINGTON, J. S. Stage of development descriptions for soybean Glycine max (L.) Merrill. Crop Science, 11: 929-931, 1971.

GERDE, J.; HARDY, C.; FEHR, W.; WHITE, P. J. Frying performance of no‑trans, low‑linolenic acid soybean oils. Journal of the American Oil Chemists’ Society, 84: 557‑563, 2007.

GONÇALVES, G. M.; VIANA, A. P.; REIS, L. S.; NETO, F. V. B.; AMARAL JÚNIOR, A. T.; REIS, L. S. Correlações fenotípicas e genético-aditivas em maracujá-amarelo pelo delineamento I. Ciência e Agrotecnologia, 32: 1413-1418, 2008.

HEIL, C. Rapid, multi-component analysis of soybeans by FT-NIR Spectroscopy. Thermo Fisher Scientific Application note: 51954, 2012.

KNOTHE, G. Some aspects of biodiesel oxidative stability. Fuel Processing Technology, 88: 669‑677, 2007.

KNOTHE, G. Biodiesel Derived from a Model Oil Enriched in Palmitoleic Acid, Macadamia Nut Oil. Energy & Fuels, 24: 2098-2103, 2010.

LOPES, A. C. DE A.; VELLO, N. A.; PANDINI, F.; ROCHA, M. DE M.; TSUTSUMI, C. Y. Variabilidade e correlações entre caracteres em cruzamentos de soja. Scientia Agrícola, 59: 341-348, 2002.

PINZI, S.; GARCIA, I. L.; LOPEZ-GIMENEZ, F. J.; LUQUE DE CASTRO, M. D.; DORADO, G.; DORADO, M. P. The Ideal Vegetable Oil-based Biodiesel Composition: A Review of Social, Economical and TEchnical Implications. Ebergy & Fuels, 23: 2325-2341, 2009.

RAMOS, L. P.; SILVA, F. R.; MANGRICH, A. S.; CORDEIRO, C. S. Tecnologias de Produção de Biodiesel. Revista Virtual de Química, 3: 385-405, 2011.

RAMOS, M.J.; FERNÁNDEZ, C.M.; CASAS, A.; RODRÍGUEZ, L.; PÉREZ, A. Influence of fatty acid composition of raw materials on biodiesel properties. Bi oresource Technology, 100: 261‑268, 2009.

RIBEIRO, K. O. Caracterização de germoplasma de soja quanto aos teores de proteína, óleo e ácidos graxos. 2011. 151f. Tese (Doutorado em Agronomia) - Universidade Federal de Goiás, Goiania, 2011.

SANTOS, E. M.; PIOVESAN, N. D.; BARROS, E. G.; MOREIRA, M. A. Low linolenic soybeans for biodiesel: characteristics, performance and advantages. Fuel, 104: 861‑864, 2013.

WALKER, R. O. Methods and recommended practices of the American Oil Chemists' Society. American Oil Chemists'Society, 3:1-57, 1986.

Publicado
2018-02-20
Seção
Artigos Científicos

Artigos mais lidos pelo(s) mesmo(s) autor(es)