Morfologia de propágulos e auxina exógena na estaquia de pitaia vermelha

Artigo principal Conteúdo

Mayara Mader Alcântara Barroso Edmilson Igor Bernardo Almeida João Paulo Cajazeira Ronialison Fernandes Queiroz Iana Maria de Souza Oliveira Marcio Cleber de Medeiros Corrêa

Resumo

Apesar de ser considerada uma cultura com grande potencial para a diversificação da fruticultura brasileira, ainda existem diversos aspectos pouco elucidados sobre o manejo de pitaia vermelha, particularmente na propagação vegetativa. Diante disso, objetivou-se avaliar o efeito de enraizadores e tipos de estacas no enraizamento de pitaia vermelha. O experimento foi conduzido em casa de vegetação, onde testaram-se enraizadores [ausência, dose recomendada de AIB (ácido indolbutírico) (3.000 mg L-1) e gel enraizador comercial] e tipos de estaca – estiolada, padrão e vigorosa. Os níveis de ambos os fatores foram arranjados em esquema fatorial 3 × 3, com quatro blocos ao acaso e duas plantas úteis por parcela. Aos 90 dias, avaliou-se: sobrevivência e enraizamento de estacas, comprimento da maior raiz (CR), largura radicular (LR), massa fresca das raízes (MFR), massa seca das raízes (MSR), massa fresca da parte aérea (MFPA), massa seca da parte aérea (MSPA), massa seca total (MST), número de emissões laterais (NEL), somatório do comprimento de emissões laterais (SCEL) e relação parte aérea raiz (RPAR). Concluiu-se que o uso de enraizadores e os tipos de estacas afetam o enraizamento de pitaia vermelha. As estacas vigorosas dispensam o uso de enraizadores e são as mais recomendadas para o sistema de produção de mudas de pitaia vermelha. Na escassez de estacas vigorosas, é conveniente a aplicação de gel enraizador para melhorar o enraizamento de mudas propagadas por estacas padrão ou estioladas.

Detalhes do Artigo

Como Citar
BARROSO, Mayara Mader Alcântara et al. Morfologia de propágulos e auxina exógena na estaquia de pitaia vermelha. Revista de Ciências Agrárias/Amazonian Journal of Agricultural and Environmental Sciences, [S.l.], v. 60, n. 4, p. 350-357, abr. 2018. ISSN 2177-8760. Disponível em: <http://periodicos.ufra.edu.br/index.php/ajaes/article/view/2608>. Acesso em: 26 maio 2018.
Seção
Artigos Científicos

Referências

ALMEIDA, E. I. B. Crescimento inicial de pitaia (Hylocereus undatus) em função de combinações de doses de fósforo-zinco e nitrogênio-potássio. 2013. 86f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) – Centro de Ciências Agrárias – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013.

ALMEIDA, E. I. B.; CORRÊA, M. C. M.; CRISOSTOMO, L. A.; ARAÚJO, N. A.; SILVA, J. C. V. Nitrogênio e potássio no crescimento de mudas de pitaia [Hylocereus undatus (Haw.) Britton & Rose]. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 36, n. 4, p. 1018-1027, 2014.

ALMEIDA, E. I. B.; CORRÊA, M. C. M; CAJAZEIRA, J. P.; QUEIROZ, R. F.; BARROSO, M. M. A; MARQUES, V. B. Cultivo de Hylocereus sp. com enfoque na propagação vegetativa, sombreamento e adubação mineral. Revista Agro@mbiente on-line, v. 10, n. 1, p. 65-76, 2016a.

ALMEIDA, E. I. B.; QUEIROZ, R. F.; CAJAZEIRA, J. P.; OLIVEIRA, I. M. S.; CORRÊA, M. C. M. Shading of stock plants and the use of auxin in red pitaya cuttings. Semina: Ciências Agrárias, v. 37, n. 5, p. 2977-2988, 2016b.

ANDRADE, R. A.; MARTINS, A. B. G.; SILVA, M. T. H. Influência da fonte e do tempo de cura na propagação vegetativa da pitaya vermelha (Hylocereus undatus Haw.). Revista Brasileira de Fruticultura, v. 29, n. 1, p. 183-186, 2007.

BASTOS, D. C.; PIO, R.; SCARPARE FILHO, J. A.; LIBARDI, M. N.; ALMEIDA, F. P.; GALUCHI, T. P. D.; BAKKER, S. T. Propagação da pitaya 'vermelha' por estaquia. Ciência e Agrotecnologia, v. 30, n. 6, p. 1106-1109, 2006.

BETANIN, L.; NIENOW, A. A. A propagação vegetativa da corticeira-da-serra (Eryhrina falcata Benth.) por estaquia caulinar e foliar. Semina: Ciências Agrárias, v. 31, n. 4, p. 871-880, 2010.

BRONDANI, G. E. WENDLING, I.; ARAUJO, M. A.; PIRES, P. P. Ácido indolbutírico em gel para o enraizamento de mini-estacas de Eucalyptus benthamii Maiden & Cambage x Eucalyptus dunnii Maiden. Scientia Agraria, v. 9, n. 2, p. 153-158, 2008.

CARDOSO, C. YAMAMOTO, L. Y.; PRETI, E. A.; ASSIS, A. M.; NEVES, C. S. V. J.; ROBERTO, S. R. AIB e substratos no enraizamento de estacas de pessegueiro ‘Okinawa’ coletadas no outono. Semina: Ciências Agrárias, v. 32, n. 4, p. 1307-1314, 2011.

CORRÊA, M. C. de M.; ALMEIDA, E. I. B.; MARQUES, V. B.; SILVA, J. C. V.; AQUINO, B. F. Crescimento inicial de pitaia em função de combinações e doses de e fósforo-zinco. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 36, n. 1, p. 261-270, 2014.

DELGADO, J. P. M.; YUYAMA, K. Comprimento de estacas de camu-camu com ácido indolbutírico para a formação de mudas. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 32, n. 2, p. 522-526, 2010.

DONADIO, L. C.; MARTINS, A. B. G.; VALENTE, J. P. Pitaya. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 31, n. 3, p. 1-2, 2009.

FACHINELLO, J. C.; HOFFMANN, A.; NACHTIGAL, J. C. Propagação de plantas frutíferas. Brasília: Embrapa Informações Tecnológicas, 2005. p. 69-109.

GALVÃO, E. C. Substrato e ácido indolbutírico na produção de mudas de pitaia vermelha de polpa branca. 2015. 68 p. Dissertação (Mestrado em Agronomia/Fitotecnia) – Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2015.

INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ. Estatística e geografia. Lista mantida pelo IPECE. Disponível em: . Acesso em: 12 nov. 2016.

KÖPPEN, W. Climatologia: conun estudio de los climas de latierra. Mexico: Fondo de Cultura Economica, 1918. 478 p.

LIMA, C. A. de. Caracterização, propagação e melhoramento genético de pitaya comercial e nativa do cerrado. 2013. 124 f. Tese (Doutorado em Agronomia) – Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

LONE, A. B. et al. Efeito do AIB no enraizamento de estacas herbáceas do porta-enxerto de videira VR 43-43 em diferentes substratos. Semina: Ciências Agrárias, v. 31, n. 3, p. 599-604, 2010.

MARQUES, V. B.; MOREIRA, R. A.; RAMOS, J. D.; ARAÚJO, N. A.; CRUZ, M. C. M. Tamanho de cladódios na produção de mudas de pitaia vermelha. Revista Caatinga, v. 24, n. 4, p. 50-54, 2011.

MARQUES, V. B.; MOREIRA; R. A., RAMOS, J. D., ARAÚJO, N. A., CRUZ, M. C. M. Porções de cladódios e substratos na produção de mudas de pitaia vermelha. Revista Agrarian, v. 5, n. 17, p. 193-197, 2012.

MERTEN, S. A. Review of Hylocereus production in the United States. Journal of the Professional Association for Cactus Development, v. 5, n. 1, p. 98-105, 2003.

MIZHARI, Y. Vine-Cacti pitayas – The new crops of the world. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 36, n. 1, p. 124-138, 2014.

NUNES, E. N. A. S. B.; LUCENA, C. M.; SILVA, S. M.; LUCENA, R. F. P.; ALVES, C. A. B.; ALVES, R. E. Pitaia (Hylocereus sp.): uma revisão para o Brasil. Gaia Scientia, v. 8, n. 1, p. 90-98, 2014.

ORTIZ-HERNÁNDEZ, Y. D.; CARRILLO-SALAZAR, J. A. Pitahaya (Hylocereus spp.): a short review. Comunicata Scientiae, v. 3, n. 4, p. 220-237, 2012.

PAULUS, D.; VALMORBIDA, R.; TOFFOLI, E.; PAULUS, E. Propagação vegetativa de Aloysia triphylla (L'Hér.) Britton em função da concentração de AIB e do comprimento das estacas. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 16, n. 1, p. 25-31, 2014.

PEÑA, M. L. GUBERT, C.; TAGLIANI, M. C.; BUENO, P. M. C.; BIASI, L. A. Concentrações e formas de aplicação do ácido indolbutírico na propagação por estaquia dos mirtileiros cvs. Flórida e Clímax. Semina: Ciências Agrárias, v. 33, n. 1, p. 57-64, 2012.

PIZZATTO, M.; WAGNER JÚNIOR, A.; LUCKMANN, D.; PIROLA, K.; CASSOL, D. A.; MAZARO, S. M. Influência do uso de AIB, época de coleta e tamanho de estaca na propagação vegetativa de hibisco por estaquia. Revista Ceres, v. 58, n. 4, p. 487-492, 2011.

PONTES FILHO, F. S. T.; ALMEIDA, E. I. B.; BARROSO, M. M. A.; CAJAZEIRA, J. P.; CORRÊA, M. C. M. Comprimento de estacas e concentrações de ácido indol-butírico (AIB) na propagação vegetativa de pitaia. Revista Ciência Agronômica, v. 45, n. 4, p. 788-793, 2014.

SANTOS, C. M. G. CERQUEIRA, R. C.; FERNANDES, L. M. S.; DOURADO, F. W. N.; ONO, E. O. Substratos e regulador vegetal no enraizamento de estacas de pitaya. Revista Ciência Agronômica, v. 41, n. 4, p. 625-629, 2010.

SILVA, A. C. C. MARTINS, A. B. G.; CAVALLARI, L. L. Qualidade de frutos de pitaya em função da época de polinização, da fonte de pólen e da coloração da cobertura. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 33, n. 4, p. 1162-1168, 2011.

SILVA, A. C. C. Pitaya: Melhoramento e produção de mudas. 2014. 132 f. Tese (Doutorado em Agronomia: Produção Vegetal) – Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Jaboticabal, 2014.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. 5. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2013. 954 p.

TIBERTI, A. S.; ASSIS, C. N.; SILVA, K. N.; TADEU, M. H. Propagação do 'Boysenberry' por estaquia e mergulhia. Ciência Rural, v. 42, n. 3, p. 423-428, 2012.