Suplementação de boro na semeadura e no perfilhamento em cevada

rendimento e qualidade de sementes

  • Lizandro Ciciliano Tavares
  • Elisa Souza Lemes
  • André Pich Brunes
  • Sandro de Oliveira
  • André Oliveira de Mendonça
  • Francisco Amaral Villela
Palavras-chave: Hordeum vulgare L., Adubação boratada, Produtividade, Germinação, Vigor

Resumo

O boro é exigido em pequenas quantidades pelas culturas, sendo a aplicação de doses adequadas no solo vital para aumentar a produtividade dos cultivos. Este trabalho visou avaliar a influência da suplementação com boro, na semeadura e no perfilhamento, sobre as características agronômicas e a qualidade fisiológica de sementes de cevada. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado em esquema fatorial (fator A: aplicação na semeadura e no perfilhamento pleno; fator B: níveis de 0, 1, 2, 3, 4 e 5 kg de boro por ha-1), totalizando 12 tratamentos, com quatro repetições. Após a colheita avaliou-se: número de espigas por planta; número de sementes por espiga; rendimento de sementes por planta; peso hectolítrico; peso de mil sementes; teor foliar de boro; primeira contagem de germinação; germinação; envelhecimento acelerado; teste de frio; comprimento de parte aérea e de raiz. Os dados foram submetidos à comparação de médias pelo teste de Tukey e à regressão polinomial em nível de probabilidade de 5%. Conclui-se que ao elevar o teor de boro disponível no solo, aumenta o teor foliar da cevada. A suplementação de boro de até 5 kg ha-1, tanto na semeadura como no perfilhamento, prejudica a produtividade e a qualidade fisiológica das sementes.

Referências

BRASIL. Companhia Nacional de Abastecimento. Acompanhamento de safra brasileira: grãos: sexto levantamento. Brasília, DF: Conab, 2017. v. 4, n. 6.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília, DF: Mapa; ACS, 2009. 395 p.

CALERÃO, E. Resultados agronômicos e qualitativos da nova cultivar de cevada MN 743. Ciência Rural, v. 35, n. 6, p. 1441-1443, 2005. doi: 10.1590/S0103-84782006000100059.

CÍCERO, S. M.; VIEIRA, R. D. Teste de frio. In: VIEIRA, R. D.; CARVALHO, N. M. Testes de vigor em sementes. Jaboticabal: Funep, 1994. p. 151-164.

COMMUNAR, G.; KEREN, R. Effect of transient irrigation on boron transport in soils. Soil Science Society of America Journal, v. 71, n. 2, p. 306-313, 2007.

DORDAS, C.; BROWN, P. H. Evidence mediated channel intransport of boric acid in Squash. Plant and Soil, v. 235, n. 1, p. 95-103, 2001.

DUNN, D.; STEVENS, G.; KENDIG, A. Boron fertilization of rice with soil and foliar applications. Crop Management, 2005. Disponível em: <http://plantsci.missouri.edu/deltacrops/pdfs/RiceBoron.pdf>. Acesso: 6 abr. 2017.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Sistema brasileiro de classificação de solos. 3. ed. Brasília, DF: Embrapa, 2013. 353 p.

FAGERIA, N. K. Níveis adequados e tóxicos de boro na produção de arroz, feijão, milho, soja e trigo em solo de cerrado. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola Ambiental, v. 4, n. 1, p. 57-62, 2000.

FURLANI, A. M. C.; CARVALHO, C. P.; FREITAS, J. G.; VERDIAL, M. F. Wheat cultivar tolerance to boron deficiency and toxicity in nutrient solution. Scientia Agricola, v. 60, n. 2, p. 359-370, 2003. doi: 10.1590/S0103-90162003000200022.

GUPTA, U. C. Deficiency, sufficiency and toxicity level of boron in crop. In: GUPTA, U. C. (Ed.). Boron an its role in crop production. Boca Raton: CRC Ross, 2000. p. 137-145.

KAPPES, C.; GOLO, A. L.; CARVALHO, M. A. C. Doses e épocas de aplicação foliar de boro nas características agronômicas e na qualidade de sementes de soja. Scientia Agraria, v. 9, n. 3, p. 291-297, 2008. doi: 10.5380/rsa.v9i3.11563.

LEITE, R. F. C.; SCHUCH, L. O. B.; AMARAL, A. S.; TAVARES, L. C. Rendimento e qualidade de sementes de arroz irrigado em função da adubação com boro. Revista Brasileira de Sementes, v. 33, n. 4, p. 785-791, 2011.

MALAVOLTA, E.; VITTI, G. C.; OLIVEIRA, S. A. Avaliação do estado nutricional das plantas: princípios e aplicações. Piracicaba: Potafós, 1997. 319 p.

MARCOS FILHO, J. Testes de vigor: importância e utilização. In: KRZYZANOWSKI, F. C.; VIEIRA, R. D.; FRANÇA NETO, J. B. (Ed.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: Abrates, 1999. p. 14-24.

MORAES, L. A. C.; MORAES, V. H. F.; MOREIRA, A. Relação entre flexibilidade do caule de seringueira e a carência de boro. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 37, n. 10, p. 1431-1436, 2002. doi: 10.1590/S0100-204X2002001000011.

NAKAGAWA, J. Testes de vigor baseados no desempenho das plântulas. In: KRZYZANOWSKI, F. C.; VIEIRA, R. D.; FRANÇA-NETO, J. B. Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: Abrates, 1999. p. 9-13.

OLIVEIRA, L. M.; SCHUCH, L. O. B.; BRUNO, R. L. C.; PESKE, S. T. Qualidade de sementes de feijão-caupi tratadas com produtos químicos e armazenadas em condições controladas e não controladas de temperatura e umidade. Semina: Ciências Agrárias, v. 36, n. 3, p. 1263-1276, 2015.

OLIVEIRA, N. W.; MUNIZ, S. A.; SILVA, G. A. M.; CASTRO, C.; BORKERT, M. C. Boron extraction and vertical mobility in Paraná State Oxisol, Brazil. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 33, n. 5, p. 1259-1267, 2009.

PAVINATO, P. S.; AGUIAR, A.; CASTRO, G. S. A.; CRUSCIOL, C. A. C. Boro em arroz de terras altas cultivado em solução nutritiva. Bragantia, v. 68, n. 3, p. 743-751, 2009.

R CORE TEAM. R: a language and environment for statistical computing. Version 3.1.2. Vienna: R Foundation for Statistical Computing, 2014. Disponível em: <http://www.R-project.org/>. Acesso em: 30 ago. 2018.

SCIVITTARO, W. B.; MACHADO, O. M. Adubação e calagem para a cultura do arroz irrigado. In: GOMES, A. S.; MAGALHÃES JUNIOR, A. M. (Ed.). Arroz irrigado no sul do Brasil. Brasília, DF: Embrapa Informações Tecnológicas, 2004. p. 259-297.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIÊNCIA DO SOLO. Comissão de Química e Fertilidade do Solo. Manual de adubação e calagem para os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. 10. ed. Porto Alegre: SCBS, 2004. 400 p.

STRECK, E. V.; KÄMPF, N.; DALMOLIN, R. S. D.; KLAMT, E.; NASCIMENTO, P. C.; SCHNEIDER, P.; GIASSON, E.; PINTO, L. F. S. Solos do Rio Grande do Sul. 2. ed. Porto Alegre: Emater-RS; UFRGS, 2008. 222 p.

TEDESCO M. J.; GIANELLO, C.; BISSANI, C. A.; BOHNEN, H.; VOLKWEISS, S. J. Análise de solo, planta e outros materiais. Porto Alegre: UFRGS, 1995. 174 p.

Publicado
2018-09-20
Seção
Artigos Científicos