Efeitos da intensidade do desbaste de estipes de açaizeiros (Euterpe oleracea Mart.) nativos na composição de parcelas de produção em várzea do estuário amazônico

Artigo principal Conteúdo

Amália Gabriela Rocha Aguiar

Resumo

 


 O objetivo do trabalho foi estudar a relação das formas de manejo com a produção de frutos de açaí e o efeito que o desbaste dos estipes acarreta na conformação das parcelas e nas características das touceiras como contribuição para a avaliação das formas de manejo de populações nativas de açaizeiros com vistas ao seu manejo sustentável. A partir de uma abordagem qualitativa e quantitativa, bem como de procedimentos metodológicos como: observação e análise da paisagem, entrevistas, formulários e amostragem semi-aleatória foi possível identificar e selecionar as parcelas de manejo através dos diferentes desbastes, eliminação e raleamento das espécies vegetais acompanhantes. Considerando o histórico de manejo das parcelas elas foram classificadas como Tratamento 1 (Manejo do agricultor) e Tratamento 2 (Manejo de Orientação Técnica). No interior de cada parcela foram demarcados com piquetes 3 unidades amostrais com dimensões, cada uma de 6m × 12m. Foram efetuadas amostragens para caracterizar morfologicamente a população vegetal através dos indicadores: quantidade de cachos por estipe, quantidade de ráquilas por cacho, quantidade de frutos por ráquilas e peso dos frutos. Os dados levantados se referem tanto aos açaizeiros como as espécies vegetais acompanhantes. A pesquisa concluiu que o tratamento de Manejo de Orientação Técnica foi o que obteve maior produtividade e que existe no processo de manejo de açaí em área de várzea uma intensidade de desbaste de touceiras e um ritmo de produção proporcional ao controle de desbaste dos estipes.

Detalhes do Artigo

Como Citar
ROCHA AGUIAR, Amália Gabriela. Efeitos da intensidade do desbaste de estipes de açaizeiros (Euterpe oleracea Mart.) nativos na composição de parcelas de produção em várzea do estuário amazônico. Revista de Ciências Agrárias/Amazonian Journal of Agricultural and Environmental Sciences, [S.l.], v. 60, n. 4, p. 358-365, abr. 2018. ISSN 2177-8760. Disponível em: <http://periodicos.ufra.edu.br/index.php/ajaes/article/view/2709>. Acesso em: 26 maio 2018.
Seção
Artigos Científicos