Qualidade do carvão vegetal comercializado no Sudeste Paraense para cocção de alimentos

Palavras-chave: Carvão de resíduo de madeira, Churrasco, Cocção de alimentos, Região amazônica

Resumo

Em 2017, no Brasil, os setores residencial e comercial consumiram cerca de 677.000 toneladas de carvão vegetal. Devido à expressividade deste consumo, conduziram-se alguns trabalhos para atestar a qualidade desse combustível em vários estados, entretanto, no Pará, continuam incipientes pesquisas dessa temática. Portanto, aqui, objetivou-se caracterizar o carvão vegetal para cocção de alimentos comercializados no sudeste paraense e avaliar se a qualidade atende aos parâmetros indicados ao Selo Carvão Premium. Conduziu-se a pesquisa no município de Parauapebas, onde foram selecionadas três marcas de carvão (A, B e C) em três locais de venda diferentes, adquirindo-se pacotes com 5 kg em três meses, totalizando 15 kg. As variáveis analisadas foram: densidade relativa aparente, umidade base seca, poder calorífico superior, poder calorífico útil, densidade energética, materiais voláteis, cinzas, carbono fixo e composição química elementar (C, H, N, S e O). Os dados foram analisados em delineamento inteiramente casualizado, sendo três tratamentos e 18 repetições, totalizando 54 unidades amostrais. Todas as marcas apresentaram umidade acima de 5%, densidade relativa aparente superior a 420 kg m-3 e elevados percentuais de cinzas (> 1,5%). As marcas B e C apresentaram teores de materiais voláteis entre 17%-19% e de carbono fixo entre 78%-80%, respectivamente. O poder calorífico útil médio para os carvões da região foi de 6672 kcal kg-1. Os carvões vegetais para a cocção de alimento analisados apresentam baixa qualidade, entretanto, as marcas B e C foram as que mais se aproximaram dos padrões mínimos exigidos pelo Selo Carvão Premium do estado de São Paulo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rudson Silva Oliveira, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Universidade Federal do Paraná (UFPR), Rua Prefeito Lothário Meissner, 632, 80210-170, Curitiba, PR, Brasil

Luan Felipe Feitosa da Silva, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Universidade Federal do Paraná (UFPR), Rua Prefeito Lothário Meissner, 632, 80210-170, Curitiba, PR, Brasil

Fernando Wallase Carvalho Andrade, Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA)

Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), Rua Vera Paz, s/n, 68035-110, Santarém, PA, Brasil

Paulo Fernando Trugilho, Universidade Federal de Lavras (UFLA)

Universidade Federal de Lavras (Ufla), Departamento de Ciências Florestais, s/n, 37200-000, Lavras, MG, Brasil

Thiago de Paula Protásio, Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)

Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Rodovia PA 275, km 13, s/n, 68515-000, Parauapebas, PA, Brasil

Selma Lopes Goulart, Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)

Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Rodovia PA 275, km 13, s/n, 68515-000, Parauapebas, PA, Brasil

Referências

ARAÚJO, A. C. C.; COSTA, L. J.; BRAGA, P. P. C.; GUIMARÃES NETO, R. M.; ROCHA, M. F. V.; TRUGILHO, P. F. Propriedades energéticas da madeira e do carvão vegetal de Cenostigma macrophyllum: subsídios ao uso sustentável. Pesquisa Florestal Brasileira, Curitiba, v. 38, n. 2, p. 365-371, 11 jul. 2018. doi: 10.4336/2018.pfb.38e201701546
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 11941 Madeira: determinação da densidade básica. Rio de Janeiro, 2003. v. 1.
ASTM INTERNATIONAL. D1762-84: standard test method for chemical analysis of wood charcoal. West Conshohocken, 2013.
ASTM INTERNATIONAL. D240-17: standard test method for heat of combustion of liquid hydrocarbon fuels by bomb calorimeter. West Conshohocken: ASTM, 2017.
BRAND, M. A.; RODRIGUES, A. A.; OLIVEIRA, A.; MACHADO, M. S.; ZEN, L. R. Qualidade do carvão vegetal para o consumo doméstico comercializado na região serrana sul de Santa Catarina. Revista Árvore, Viçosa, v. 39, n. 6, p. 1165-1173, 2015. doi: 10.1590/0100-67622015000600020
COSTA, A. C. S.; OLIVEIRA, A. C.; FREITAS, A. J.; LEAL, C. S.; PEREIRA, B. L. C. Qualidade do carvão vegetal para cocção de alimentos comercializado em Cuiabá – MT. Nativa, Sinop, v. 5, n. 6, p. 456-461, 2017. doi: 10.5935/2318-7670.v05n06a12
DIAS JÚNIOR, A. F.; ANDRADE, C. R.; BRITO, J. O.; MILAN, M. Desdobramento da função qualidade (QFD) na avaliação da qualidade do carvão vegetal utilizado para cocção de alimentos. Floresta e Ambiente, Seropédica, v. 22, n. 2, p. 262-270, 2015. doi: 10.1590/2179-8087.105314
DIAS JÚNIOR, A. F.; BRITO, J. O.; ANDRADE, C. R. Granulometric influence on the combustion of charcoal for barbecue. Revista Árvore, Viçosa, v. 39, n. 6, p. 1127-1133, 2015. doi: 10.1590/0100-67622015000600016
DIAS JÚNIOR, A. F.; PIROLA, L. P.; TAKESHITA, S.; LANA, A. Q.; BRITO, J. O.; ANDRADE, A. M. Higroscopicity of charcoal produced in different temperatures. Cerne, Lavras, v. 22, n. 4, p. 423-430, 2016.
EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA. Nota Técnica 17/18: potencial energético de resíduos florestais do manejo sustentável e de resíduos da industrialização da madeira. 1. ed. Rio de Janeiro, 2018a.
EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA. Balanço energético nacional 2018: ano base 2017. 12. ed. Rio de Janeiro, 2018b.
LEITE, E. R. S.; PROTÁSIO, T. P.; ROSADO, S. C. S.; TRUGILHO, P. F.; VALLE, M. L. A.; SIQUEIRA, H. F. Composição química elementar da madeira e do carvão vegetal de Coffea arabica para uso bioenergético. Coffee Science, Lavras, v. 10, n. 4, p. 537-547, 2015.
NETO, M. A.; CARNEIRO, M. S., MIRANDA, K. F. A atividade madeireira na Amazônia brasileira: produção, receita e mercados. 1. ed. Belém: Serviço Florestal Brasileiro (SFB); Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), 2010.
NUMAZAWA, C. T. D.; NUMAZAWA, S.; PACCA, S.; JOHN, V. M. Logging residues and CO2 of Brazilian Amazon timber: two case studies of forest harvesting. Resources, Conservation & Recycling, [S. l.], v. 122, p. 280-285, 2017. doi: 10.1016/j.resconrec.2017.02.016
OLIVEIRA, A. F.; BAVARESCO, A.; PESSUTI, C. A. A.; MIYASHIRO, C. S.; FRANK, J. Análise da qualidade do carvão para consumo doméstico de quatro municípios do estado do Paraná. Revista Brasileira de Energias Renováveis, Curitiba, v. 4, n. 3, p. 102-111, 25 nov. 2015. doi: 10.5380/rber.v4i3.43034
PASSOS, B. M. dos; SIMIONI, F. J.; DEBONI, T. L.; DALARI, B. L. S. K. Características do consumo residencial de lenha e carvão vegetal. Floresta, Curitiba, v. 46, n. 1, p. 21-29, 2016. doi: 10.5380/rf.v46i1.39714
PELANDA, K. A.; POTULSKI, D. C.; SILVA, D. A.; FERRAZ, F. A. Avaliação das possíveis implicações do uso de diferentes biomassas florestais como biocombustível em geradores de vapor. Ciência da Madeira, Pelotas, v. 6, n. 2, p. 112–121, 2015. doi: 10.12953/2177-6830/rcm.v6n2p112-121
PROTÁSIO, T. P.; GUIMARÃES JUNIOR, M.; MIRMEHDI, S.; TRUGILHO, P. F.; NAPOLI, A.; KNOVACK, K. M. Combustion of biomass and charcoal made from babassu nutshell. Cerne, Lavras, v. 23, n. 1, p. 1-10, 2017.
R CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. Vienna: R Foundation for Statistical Computing, 2018.
ROSA, R. A.; ARANTES, M. D. C.; PAES, J. B.; ANDRADE, W. S. de P.; MOULIN, J. C. Qualidade do carvão vegetal para o consumo doméstico. Journal of Biotechnology and Biodiversity, Gurupi, v. 3, n. 2, p. 41-48, 2012.
SÃO PAULO. Secretaria de Agricultura e Abastecimento. Resolução SAA nº 40, de 14 de dezembro de 2015. Altera a Resolução SAA 10, de 11-07-2003, que define Norma de Padrões Mínimos de Qualidade para carvão vegetal, como base para Certificação de Produtos pelo Sistema de Qualidade de Produtos Agrícolas, Pecuários e Agroindustriais do estado de São Paulo, instituído pela Lei 10.481, 29-12-1999, e a Resolução SAA 67, de 13-09-2012. São Paulo: Secretaria de Agricultura e Abastecimento, 2015. Disponível em: https://bit.ly/2FX7I91. Acesso em: 8 abr. 2019.
SILVA, C. M. S.; CARNEIRO, A. C. O.; PEREIRA, B. L. C.; VITAL, B. R.; ALVES, I. C. N.; MAGALHÃES, M. A. Stability to thermal degradation and chemical composition of woody biomass subjected to the torrefaction process. European Journal of Wood and Wood Products, [S. l.], v. 74, n. 6, p. 845-850, 2016.
SILVA, M. do R. S. E; RIBEIRO, E. A. S.; BARBOSA, J. P.; ALVES JÚNIOR, F. T.; GUEDES, M. C.; PINHEIRO, P. G.; BUFALINO, L. Quality attributes of commercial charcoals produced in Amapá, a Brazilian state located in the Amazonia. Environment, Development and Sustainability, [S. l.], n. 1, p. 1-14, 2018. doi: 10.1007/s10668-018-0216-x
SOUZA, N. D.; AMODEI, J. B.; XAVIER, C. N.; DIAS JÚNIOR, A. F.; CARVALHO, A. M. Estudo de caso de uma planta de carbonização: avaliação de características e qualidade do carvão vegetal visando uso siderúrgico. Floresta Ambiente, Rio de Janeiro, v. 23, n. 2, p. 270-277, 2016.
VICENTE, E. D.; VICENTE, A.; EVTYUGINA, M.; CARVALHO, R.; TARELHO, L. A. C.; ODUBER, F. I.; ALVES, C. Particulate and gaseous emissions from charcoal combustion in barbecue grills. Fuel Processing Technology, Amsterdam, v. 176, p. 296-306, 2018.
Publicado
2019-05-06
Seção
Artigos Científicos