Umidade e aquecimento térmico na superação de dormência de sementes de dendezeiro tipo dura

Palavras-chave: Arecaceae, Elaeis guineenses, Palma-de-óleo, Germinação, Vigor

Resumo

Para germinação de sementes de dendezeiro, tem-se utilizado o método de calor seco, com Tratamento Térmico (TT) das sementes a 39 ºC ± 1 ºC, sendo o tempo e a umidade da semente variável dependendo do genótipo. A otimização do período de TT pode reduzir custos e aumentar a taxa de germinação das sementes. O objetivo desse estudo foi avaliar o efeito do teor de água e do TT na superação de dormência e germinação de sementes recém-colhidas de dendezeiro tipo dura (de origem Deli). O delineamento foi inteiramente casualizado, em esquema fatorial 5 × 3, sendo cinco Intervalos de Grau de Umidade (IGU): 18%-19%; 19%-20%; 20%-21%; 21%-22% e 22%-23% e três períodos de TT: 30, 40 e 60 dias, com quatro repetições de 250 sementes. Foram avaliadas porcentagem de germinação, germinação na primeira contagem (PCON) e Índice de Velocidade de Germinação (IVG). A combinação de 30 dias de TT sob 39 ºC e com IGU de 18% a 19% foi a mais favorável para taxa de germinação (91,16%). Para superação de dormência e germinação de sementes de dendezeiro recomenda-se a combinação de TT de 30 dias sob 39 ºC e com IGU de 18% a 19% no início do processo, condições em que se obtém germinação superior a 90% das sementes e com alto vigor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Green, Embrapa Amazônia Ocidental

Embrapa Amazônia Ocidental, Rodovia AM-010, Km 29, s/n, Caixa Postal 319, 69010-970, Manaus, AM, Brasil

Referências

BEUGRÉ, M. M.; KOUAKOU, L. K.; BOGNONKPÉ, P. J.; KONAN, E. K.; KOUAKOU, H. T.; KOUADIO, J. Y. Effect of storage and heat treatments on the germination of oil palm (Elaeis guineensis Jacq.) seed. African Journal of Agricultural Research, Nigeria, v. 4, n. 10, p. 931-937, 2009.

BHERING, L. L. Rbio: A tool for biometric and statistical analysis using the R platform. Crop Breeding and Applied Biotechnology, Viçosa, v. 17, n. 2, p. 187-190, 2017.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília: Mapa: ACS, 2009. 395p.

CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. Jaboticabal: Funep, 2000. 588p.

CORLEY, R. H. V. How much palm oil do we need? Environmental Science & Policy, Amsterdam, v. 12, n. 2, p. 134-139, 2009.

CORRADO, F.; WUIDART, W. Germination des graines de palmier à huile (E. guineensis) em sacs de polyétyléne. Méthode par “charleur séche”. Oléagineux, Paris, v. 45, n. 11, p. 511-514, 1990.

FONDOM, N. Y.; ETTA, C. E.; MIH, A. M. Breaking seed dormancy: revisiting heat-treatment duration on germination and subsequent seedling growth of oil palm (Elaeis guineensis Jacq.) progenies. Journal of Agricultural Science, Canadá, v. 2, n. 2, p. 101-110, 2010.

GREEN. M.; LIMA, W. A. A.; FIGUEIREDO, A. F.; ATROCH, A. L.; LOPES, R.; CUNHA, R. N. V.; TEIXEIRA, P. C. Heat treatment and seed germination of oil palm (Elaeis guineensis Jacq.). Journal of Seed Science, Londrina, v. 35, n. 3, p. 296-301, 2013.

HUSSEY, G. An analysis of the factors controlling the germination of seed of the oil palm, Elaeis guineensis (Jacq.). Annals of Botany, Oxford, v. 22, n. 2, p. 259-284, 1958.

LIMA, W. A. A.; GREEN, M.; ZEVIANE, W. M.; LOPES, R.; RIOS, S. A. Teor de água e tempo de exposição ao tratamento térmico na germinação de sementes de caiaué. Revista de Ciências Agrárias, Recife, v. 60, n. 2, p. 192-198, 2017.

LIMA, W. A. A.; LOPES, R.; GREEN, M.; CUNHA, R. N. V.; ABREU, S. C.; CYSNE, A. Q. Heat treatment and germination of seeds of interspecific hybrid between American oil palm (Elaeis oleifera (H.B.K) Cortes) and African oil palm (Elaeis guineensis Jacq.). Journal of Seed Science, Londrina, v. 36, n. 4, p. 451-457, 2014.

MARCOS FILHO, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. Piracicaba: Fealq, 2005. 495p.

MOK, K. C. Heat requirement for breaking dormancy of the oil palm seeds after storage under different conditions. In: PUSHPARAJAH, E.; CHEW, P.S. (ed.). The oil palm in agricultural development in the eighties. Kuala Lumpur: The Incorporated Society of Planters, 1982. p. 197-206.

MOK, K. C. The tetrazolium test for evaluating the viability of oil palm (Elaeis guineensis Jacq.) seed. Proceedings of the International Seed Testing Association, Madison, WI, v. 37, n. 3, p. 771-77, 1972.

NAKAGAWA, J. Testes de vigor baseados no desempenho das plântulas. In: KRZYZANOWSKI, F. C.; VIEIRA, R. D.; FRANÇA NETO, J. B. (ed.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: Abrates, 1999. p. 2.1-2.24.

PINTO, M. F. Germinação acelerada de sementes de palmeira. Agronomia Angolana, Luanda, v. 31, n. 1, p. 41-56, 1971.

RAMALHO FILHO, A.; MOTTA, P. E. F.; NAIME, U. J.; GONCALVES, A. O.; TEIXEIRA, W. G. Zoneamento agroecológico para a cultura do dendezeiro nas áreas desmatadas da Amazônia Legal. In: RAMALHO FILHO, A.; MOTTA, P. E. F.; FREITAS, P. L.; TEIXEIRA, W. G. T. (ed.). Zoneamento agroecológico, produção e manejo para a cultura de dendezeiro na Amazônia. Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 2010. p. 57‑68.

REES, A. R. High-temperature pre-treatment and germination of seed of oil palm, Elaeis guineensis (Jacq.). Annals of Botany, Oxford, v. 26, n. 4, 569-581, 1962.

USDA – UNITED STATES DEPARTAMENT OF AGRICULTURE. Oil Seeds: World Markets and Trade. Circular Series, 2019. Disponível em: http://www.fas.usda.gov/psdonline/circulars/oilseeds.pdf. Acesso em: 8 abr. 2019.

VIEIRA, R. D.; CARVALHO, N. M. Testes de vigor em sementes. Jaboticabal: Funep, 1994. 164p.

VILLELA, A. A.; JACCOUD, D. B.; ROSA, L. P.; FREITAS, M. V. Status and prospects of oil palm in the Brazilian Amazon. Biomass and bioenergy, Amsterdã, v. 67, p. 270-278, 2014.

Publicado
2019-09-27
Seção
Artigos Científicos